José Carlos Polli, e as notícias que definem o seu dia.

17

Polêmica à vista

Circula nas redes sociais a informação que no dia 29 de março, durante audiência na Justiça do Trabalho, o prefeito Sérgio Azevedo e seu vice, Flávio Faria, propuseram acordo judicial envolvendo a Lei 11.738 que estabeleceu o piso nacional dos profissionais da educação, se comprometendo a iniciar o pagamento exigido pela lei em duas etapas, nos anos de 2018 e 2019, após elevar a receita do município mediante reajuste no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Se confirmada a informação, terá início uma grande polêmica que com certeza irá provocar desgaste para a administração, a começar pela decisão do prefeito conceder reajuste ao funcionalismo a partir deste ano (março) com índice superior a inflação. Se existe recurso para aumento real (quase 3%), porque não pagar desde já o piso dos professores? Tanto a administração, como o sindicato dos servidores deve um esclarecimento a população a respeito deste possível acordo na justiça, afinal de contas, se realmente o acordo foi feito, o reajuste do imposto vai penalizar uma boa parte da população. 


Pagamento em dia

Mesmo com todas as dificuldades de caixa, o novo governo municipal vem honrando dois compromissos, que não estavam sendo cumpridos pelo ex-prefeito Eloisio Lourenço. Está transferindo em dia os pagamentos mensais para o Instituto de Assistência aos Servidores Municipais (IASM), e recolhendo o INSS referente a parte do empregador, coisa que a administração passada não fez, apesar de ter se beneficiado da transferência de R$ 200 milhões do DME para os cofres municipais.
Ponto facultativo
O diário oficial do município publicou ontem, decreto assinado pelo prefeito Sérgio Azevedo declarando ponto facultativo nas repartições municipais, diretas e indiretas, no dia 13, quinta-feira próxima. Com isso a prefeitura só retoma o expediente normal na segunda-feira à partir das 12 horas.


Penitência

E já que é feriado de Semana Santa, alguns políticos da santa terrinha deveriam aproveitar e cumprir penitência acompanhando as procissões para pagar pelo menos parte dos pecados cometidos na última campanha para escolha do novo prefeito e vereadores. Tem candidato derrotado que se arrependimento matasse, a essa altura estaria morto e esturricado. Não foi por falta de aviso.


Menos mal

A Secretaria da Fazenda do Estado anunciou que a arrecadação com o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2017 atingiu no dia 31 de março, R$ 3,45 Bilhões. O valor é 7% superior ao arrecadado no mês o período em 2016 e representa 76,5% do total esperado para este ano, que é de R$ 4m5 bilhões. Em Minas Gerais, 50 % do valor arrecadado com o IPVA são creditados pelos bancos arrecadadores em conta do Estado e 50% são creditados em conta do município de licenciamento do veículo. Como Poços de Caldas possui uma das maiores frotas de veículos per capita, o montante arrecadado deve aliviar o aperto financeiro que a prefeitura enfrenta.

Criança bonita

O ex-prefeito Eloisio Lourenço afirma que os entendimentos para a implantação de uma unidade da fábrica de cerveja Estrella Galicia tiveram início durante seu governo e que deixou quase tudo acertado para a vinda da indústria, embora na época ainda estivesse a incerteza quanto a definição do local, se a cidade escolhida seria Poços de Caldas ou outra cidade do interior paulista. Segundo Eloisio, o Secretário de Governo, Odair Cunha, se esforçou bastante para que a empresa optasse por Poços de Caldas. Como saiu do governo, e existe clausula de confidencialidade no protocolo de intenções, deixou de acompanhar o assunto.

Fator Medioli

Nas rodas políticas e empresariais na capital, quando o assunto é a eleição de governador, vem à tona a possível candidatura do prefeito de Betim, Vittorio Medioli. O nome do empresário corre de boca em boca, como a grande “novidade” eleitoral no Estado, arrancando elogios tanto de aliados do governo como da oposição. O rumor sobre a pré-candidatura de Medioli já causa inquietação em Pimentel, que postula a reeleição. (Raquel Faria).

Extinção

Uma das coisas que impressionou o prefeito Sérgio Azevedo ao assumir o comando do executivo foi o relatório apresentado a ele contendo gastos da prefeitura com a manutenção do Serviço de Verificação de Óbitos (S.V.O.), onde médicos plantonistas ganham uma fortuna em horas extras, e um deles nem mesmo com residência na cidade. A intenção do prefeito é extinguir o serviço.

Mais gastos

Na pindaíba em que a prefeitura se encontra, com falta de recursos até para pagar fornecedores e prestadores de serviço, o vereador Marcelo Heitor, do PSC, sugeriu, através de um anteprojeto, a implantação de salas de primeiros socorros nos velórios do município. A justificativa é que algumas pessoas, devido a emoção, acabam passando mal e necessitam de atendimento. A sugestão do vereador é para que a prefeitura mantenha nestas salas com equipamentos para primeiros socorros, pelo menos um profissional da medicina para atendimento dos pacientes.

Recomposição das calçadas

Para substituição da tubulação de água tratada o Departamento Municipal de Água e Esgoto abriu várias frentes de trabalho na área central e como não poderia deixar de acontecer, a obra obriga a intervenções no asfalto e também nas calçadas. Isso tem acarretado alguns problemas para a autarquia, uma vez que nem todos concordam com o desmanche das suas calçadas. O problema é que não existe outro meio a não ser este tipo de intervenção e os proprietários dos imóveis precisam entender o benefício que a obra vai trazer para suas próprias residências. 

Rodapé

Não passe de boato a informação de que a fábrica de cerveja Estrella Galicia só se instalaria em Poços se o prefeito Sérgio Azevedo, trocasse o Flamengo pelo Corinthians.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários